Produtos

Home » Produtos
  • MOTOR

    O motor reconstruído hoje em dia já ganhou a confiança do mercado devido a sua qualidade, relação e preço, sendo mais económico do que um motor novo. O processo de reconstrução que se aplica nos motores parte por um “casco “na qual é completamente desmontado em peças, o bloco submetido a testes para averiguar o seu estado, todos os seus componentes são analisados e rectificados individualmente até alcançar todas as tolerâncias estabelecidas pelo fabricante, todas as peças que sejam trocadas são substituídas por as peças novas.
    O fabricante volta a colocar o motor no mercado com a confiança no produto de zero quilómetros Todos os nossos motores são testados antes de entrarem em stock de forma a garantir uma maior qualidade e desempenho. Sendo os mesmos produzidos seguindo o código BSI BS AU 257

  • Caixa de Velocidades Mecânica

    A caixa de velocidades manual permite uma maior liberdade que a automática, porque o condutor troca de mudança quando achar mais conveniente A grande maioria dos veículos do mercado está equipada com caixas de velocidades manuais, mas ultimamente vai-se alargando a utilização de caixas automáticas devido a uma melhor eficiência.
    A caixa manual necessita de embraiagem, controlado pelo pedal. Este componente encarrega-se de unir ou separar o motor da transmissão

  • Caixa automáticas

    Devido aos avanços tecnológicos as caixas automáticas melhoraram muito ao nível de consumo, As transmissões automáticas podem dividir-se em dois tipos de grupos: Transmissões de variação contínua e transmissões automáticas hidráulicas.
    Nas transmissões de variação contínua é possível mudar de relação de velocidades dentro de um espaço em vez de mudar dentro de um conjunto de relações fixas. Transmissões automáticas hidráulicas. A maioria das caixas de velocidades são hidráulicas,utilizam um acoplamento fluido ou um conversor de par e um conjunto de engrenagens e planetários.

  • Diferenciais

    O diferencial é um peça mecânica que permite que as roda direita e esquerda de um veículo girem a rotações diferentes, para a direita a roda direita percorre um caminho mais curto que a roda esquerda, já que esta última se encontra na parte exterior da curva. Antigamente as rodas dos veículos estavam montadas de forma fixa sobre um eixo. Desta forma significava que uma das rodas não rodava bem, destabilizando o veículo.

    Com o diferencial consegue-se que cada roda possa girar correctamente numa curva, sem perder por este a fixação de ambas sobre o eixo, desta maneira a tracção do motor actua com a mesma força sobre cada uma das rodas. O diferencial é composto de engrenagens dispostas em forma de U no eixo. Quando ambas as rodas percorrem o mesmo caminho, o veículo numa linha recta, a engrenagem mantém-se numa situação neutra.

    No entanto numa curva as engrenagens deslocam-se ligeiramente, compensando assim as diferentes velocidades de rotação das rodas. O diferencial é composto por um pinhão, uma roda de coroa, de dois satélites e dois planetários, e estes são cobertos pela caixa do diferencial.

  • Turbocompressor

    Os turbos reconstruidos passam por rigoroso controle de qualidade, o processo passa por
    desmontar em peças todos os seus componentes, os mesmos são analisados e testados.
    As peças que sejam trocadas são substituídas por as peças novas.

  • Alternadores

    O alternador funciona de acordo com o fenómeno da Indução electromagnética, ele aproveita o mesmo princípio físico básico, onde a corrente eléctrica flui através do rotor criando um campo magnético que induz a movimentação dos eléctron nas bobinas que resultará em corrente alternada.
    É importante saber que a intensidade desta tensão/corrente não é constante. Após cada giro de 360 graus, o ciclo da tensão se repete. Por isso, num giro uniforme consegue-se uma alteração periódica da tensão, que pode ser representada como onda senoidal com meia-onda positiva e meia negativa.

  • Bombas de direcção

    A maioria dos sistemas de direcção assistida consiste numa bomba de válvula rotativa e correia para fornecer pressão hidráulica e um conjunto de cilindro e êmbolo. A pressão é gerada com ajuda do motecta ou parado o fluido hidráulico passa através de dois orifícios de iguais dimensões, aplicando assim pressões iguais em ambos os lados de um êmbolo, contido num cilindro, ligado ao mecanismo da direcção. Ao mover-se o volante, é accionada uma válvula de distribuição que abre um dos orifícios e fecha o outro.
    O fluido exerce então pressão sobre apenas um dos lados do êmbolo, o que empurra o mecanismo de direcção, na direcção desejada. A pressão que é aplicada no êmbolo depende da força que o condutor aplica no volante.

  • Bomba de alta Pressão

    Para além do aumento da performance do motor (potência e binário), redução do consumo e respectivas emissões poluentes, este sistema popularizou-se muito devido à enorme redução do ruído de funcionamento do motor e à simplicidade de funcionamento do sistema e consequente diminuição das operações de manutenção.

  • Caixa de Direcção

    A maioria dos novos automóveis tem direcção assistida, apesar de nas décadas de 1970 e 1980 isso ser a excepção à regra, pelo menos nos automóveis europeus. A moda da tracção às rodas da frente, o facto de os automóveis se tornarem mais pesados aliado à crescente largura dos pneus, tornaram as manobras de um carro sem assistência, muito desgastantes em termos físicos, especialmente a velocidades baixas.
    DIRAVI No sistema DIRAVI invedFeel’ nos Estados Unidos. O sistema DIRAVI foi uma importante contribuição para o ramo da condução ajustada à velocidade. Existem: Sistemas hidráulicos,Sistemas eléctricos, Servotronic e Sistemas electro-hidráulicos

  • Motor de Arranque

    O motor de arranque ou motor de partida é um motor eléctrico com escovas que tem a função de accionar o motor do automóvel até que tenha condições de funcionar sozinho (ou seja dar a partida no carro). Sendo assim fica inoperante após esse período, permanecendo parado mesmo enquanto o motor do automóvel estiver em funcionamento.
    Características
    Transforma energia eléctrica em mecânica
    Produz movimento de rotação.
    Produz o torque inicial para vencer o atrito interno do motor a combustão.
    Funciona com corrente contínua. Possui sistema de segurança Impulsor com roda livre.

  • Injectores

    O injector, é o órgão que tem a finalidade de pulverizar o combustível para a câmara de combustão, injectando-o por forma gradual durante um curto espaço de tempo regulado pela tensão da mola. Exerce a sua função no final do 2º tempo (compressão) início do 3º tempo (Combustão/Explosão) de um motor a 4 tempos.
    O Combustível vem imediatamente antes da bomba injecctora, sob grande pressão, obrigando a que o bi-cone do injector recue, comprimindo a mola, e obrigando o gasóleo a sair pulverizado (devido ao estreitamento da saída e da grande pressão a que está sujeito).

  • Convertidor ( Torque )

    É utilizado para transferir energia de rotação de um motor, O conversor de binário normalmente toma o lugar de uma embraiagem mecânica num veículo com uma transmissão automática, É geralmente localizado entre o motor e a placa flexível de transmissão.

    A característica essencial de um conversor de binário é a sua capacidade de multiplicar quando existe uma diferença substancial entre a entrada e saída de velocidade de rotação, proporcionando assim o equivalente de uma engrenagem de redução. Alguns destes dispositivos também estão equipadas com um mecanismo de bloqueio temporário, que liga rigidamente o motor para a transmissão, quando as suas velocidades são quase iguais, para evitar o escorregamento e uma consequente perda de eficiência.

  • Bomba Injectora

    Sistema de bombeamento mecânico a pistões que funciona imerso e lubrificado no próprio óleo combustível evitando assim grandes ajustes nos pequenos pistões. O sistema é dimensionado para fornecer alta pressão de (Hoje chega-se a mais de 2000 Bar ) na agulha do bico (Firad) e assim vencer a contrapressão do ar no interior do cilindro já comprimido.
    Essa operação que acontece no momento da compressão e exacto instante que o êmbolo do pistão encontra-se 6º antes do ponto morto superior, uma quantidade predeterminada de combustível é pulverizado. Na realidade, são as molas que pressionam as válvulas fechadas que cedem “sob pressão” e liberam a passagem do óleo, retido no bico injector; este entra atomizado na câmara e reage com o oxigénio comprimido.

  • Cabeça de Motor

    É a parte superior da câmara de combustão e onde se localizam as velas e as válvulas de admissão e escape. Entre cabeçote e bloco está a junta de cabeçote

    Além de facilitar a manutenção do motor, a cabeça do motor é a chave para o bom desempenho, por determinar o formato da câmara de combustão, a passagem dos gases de admissão e escape, o funcionamento das válvulas e seu comando. Pode se elaborar um motor totalmente diferente em desempenho apenas alterando o cabeçote.